Papa Francisco destaca bom relacionamento entre religiões

Audiência contou com delegações de representantes de várias religiões

 

foto
 
“Antes de mais, agradeço do coração o que o meu irmão André nos disse”. Foi com estas palavras que Papa Francisco acolheu e agradeceu o Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I, que lhe tinha dirigido a saudação inicial, em nome dos participantes na audiência aos representantes das Igrejas e Comunidades eclesiais nesta quarta-feira, dia 20 de março, assim como as Delegações de Judeus, Muçulmanos, e de outras religiões.
 
Papa Francisco sublinhou o fato de iniciar o seu ministério apostólico neste Ano da Fé, proclamado “com intuição verdadeiramente inspirada”, pelo seu predecessor. “É precisamente no desejo de anunciar este tesouro perenemente válido da fé aos homens do nosso tempo que reside o coração da mensagem conciliar”, observou o Santo Padre, destacando a importância fundamental do Concílio para o caminho ecuménico. 
 
Citando o beato João XXIII, que recordava a oração de Jesus pela unidade, na última Ceia, Papa Francisco convidou a todos a invocar ao Pai misericordioso a graça de viver plenamente a fé recebido no dia do Batismo. “Será este o nosso melhor serviço à causa da unidade entre os cristãos, um serviço de esperança para um mundo ainda marcado por divisões, contrastes e rivalidades”.
 
E seguiu dizendo: “Pela minha parte, desejo assegurar, na esteira dos meus predecessores, a firme vontade de prosseguir no caminho do diálogo ecuménico e desde já agradeço o Conselho Pontifício para a promoção da unidade dos cristãos pela ajuda que continuará a oferecer, em meu nome, por esta nobilíssima causa”. 
 
Na parte final do seu discurso, o pontífice saudou também, muito cordialmente, os “distintos representantes do povo judeu”, assim como os “caros amigos pertencentes a outras tradições religiosas, a começar pelo muçulmanos”, assegurando muito apreciar a sua presença, “sinal tangível da vontade de crescer na estima recíproca e na cooperação para o bem comum da humanidade”. “A Igreja católica está consciente da importância que tem a promoção da amizade e do respeito entre homens e mulheres de diversas tradições religiosas”.
 
Fonte: Rádio Vaticana