JRS mira ações para refugiados na Venezuela

Colombianos fugiram da guerra civil no país de origem

foto
 
Desde a criação do escritório em Guasdualito em 2002, o JRS (Serviço Jesuíta aos Refugiados) foi acompanhar, servir e defender os colombianos em necessidade de proteção internacional, que vieram refugiados para a Venezuela em busca de garantias para o exercício dos seus direitos.
 
Guasdualito é a capital e o principal centro de petróleo do estado de Apure, no sul da Venezuela. A cidade fronteiriça, de 70 mil habitantes, faz divisa com Arauca, na Colômbia, e tem grande importância para o comércio, mobilidade humana e a recepção da população.
 
Guasdualito acolheu no último mês de fevereiro dois refugiados colombianos e um deles, Constance, que vive com o marido e quatro de seus filhos, é uma das pessoas atendidas pelo JRS. Há sete anos mudou-se de Arauca e, desde então, em seu processo de aplicação dos refugiados, precisa renovar a cada três meses o passaporte temporário, documento que permite a pessoa se instalar regularmente e começar uma nova vida com sua família, na esperança de obter, em breve, o estatuto final de refugiado.
 
Desde que chegou em Guasdualito, Constance olha com otimismo para o futuro, sem medo de ser vítima, ela ou qualquer membro de sua família, da violência relacionada com o conflito armado na Colômbia.