Unisinos realiza encontro sobre Propriedade Intelectual

Evento teve mais de cem inscritos de diversas áreas

 

foto
 
Organizado pelo NITT (Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia) da Unisinos, o evento sobre Fomento à Propriedade Intelectual contou com 105 inscritos e foi direcionado aos alunos e professores dos programas de pós-graduação em Comunicação, Design e Arquitetura, Direito, Educação, Engenharias, Gastronomia, Gestão, Informática e Saúde da universidade.
 
O objetivo do NITT, ao promover esse momento de debate, foi desmitificar a propriedade intelectual. “Temos recebido muitos pedidos, muitas dúvidas de pesquisadores de diversas áreas sobre patente. A ideia é que através desse encontro a gente consiga aproximar a fonte direta de conhecimento das pessoas que têm dúvidas, ou que desejam conhecer mais a propriedade intelectual. Sempre tentando reforçar que a propriedade intelectual não é só registro de patente, no sentido de incentivar sua comercialização” diz Feliciane Brehm, coordenadora do núcleo, que fez a abertura do evento.
A palestra de Milton Barcellos, doutor em direito e agente de propriedade industrial, buscou esclarecer dúvidas e derrubar tabus referentes ao tema. Milton falou da patente desde seu depósito, registro, licenciamento e comercialização. Explicou que o uso da patente pode ser feito antes dela ser concedida, e que é importante utilizar o banco de patente para pesquisa, como fonte para saber o que já foi produzido, e o que é novo em cada área. “Quando a pesquisa é aplicada, o criador tem que ter consciência para proteger essa pesquisa e mais tarde comercializar”, declara Milton. 
O palestrante ressaltou a importância de um trabalho de proteção à propriedade intelectual, para que as pessoas não percam os prazos. Segundo Milton, é importante ter alguém que auxilie nesse trabalho de registro de patente junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), e reforça que o inventor deve estar focado na criação, e também no mercado de comercialização dos produtos.