“É preciso que a Igreja se encante pela juventude”

Campanha da Fraternidade 2013 vai priorizar os jovens

 

foto“É preciso que a Igreja e toda a sociedade se encantem ou se re-encantem pela juventude. Isso significa usar muitos verbos, mas podemos resumi-los em três: estudar, amar, estar presente”, comenta Hilário Dick (foto), jesuíta que há 40 anos trabalha na evangelização da juventude, em entrevista à IHU On-Line. Os jovens são o tema da Campanha da Fraternidade do ano de 2013 e, segundo o site da CNBB, essa “temática tem como objetivo ter mais um elemento além da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para fortalecer o desejo de evangelização dos jovens”.
 
O tema lançado na quarta-feira de Cinzas, no último dia 13, tem como lema o versículo “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8), que complementa o lema da Jornada: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações!” (Mc 16). Dick comenta o lema e diz que o espírito missionário não se paga: “A ‘missionaridade’ faz parte da felicidade do ser humano e, de modo particular, da juventude. Pode-se perguntar se o lema é um convite ou uma ordem, mas isso depende de quem deseja falar algo de Deus. Quem convive com a juventude sabe que ela gosta de ‘sair de si mesmo’. E quem vive isso, o faz gratuitamente”.
 
Ricardo Mariano, sociólogo da PUC-RS, aponta a escolha do tema “juventude” como uma estratégia da Igreja para barrar a perda do terreno. “Alarmada e mobilizada pela tendência aparentemente irrefreável de um futuro cada vez menos católico, a hierarquia eclesiástica vem investindo mundos e fundos para tentar conquistar os jovens. Algo crucial para assegurar sua reprodução institucional num contexto pluralista e de liberdade no qual a pertença religiosa tornou-se questão de livre escolha individual. Crucial ainda porque é entre os com menos de 40 anos que a Igreja Católica mais perde terreno no Brasil”.
 
Conheça mais sobre a Campanha da Fraternidade no site oficial.
 
foto
 
Fonte: IHU-Online Unisinos