JRS arrecada verba para emergências no Congo

Diversas escolas foram destruídas na guerra civil

foto

A guerra e o caos reinante em um dos países mais desolados do mundo, têm estimulado uma iniciativa interessante pela Missão de Aquisições da Província da Irlanda (Irish Escritório Missão Jesuíta). É uma cooperação que toda a missão adquire, dirigida por jesuítas europeus, e levaram a um esforço conjunto para lidar com a situação no Congo, especialmente na província oriental de Kivu do Norte.

Estima-se que após a rebelião de abril de 2012, o número de refugiados atingiu quase meio milhão no país. Em 20 de novembro do ano passado, um grupo conhecido como M23 (Março data em que foi formado) invadiu e tomou as cidades de Goma e Sake. Durante a ocupação, os terroristas destruiram escolas. A estimativa preliminar realizada pela JRS (Jesuit Refugee Service), a única agência que trabalha na área, é que pelo menos 12 escolas de ensino médio  precisam de reestruturação.

O orçamento inicial para esta fase do projeto ultrapassa os 40 mil euros, incluindo material escolar para alunos e professores. O JRS apelou ao Xavier Network, que coordena todas as ONGs e escritórios na Europa. O jesuíta Martin Curry, diretor dos escritórios da Missão, deu uma contribuição de %u20AC 15.000, como fundo de emergência. Este montante irá para a reconstrução de 10 salas de aula que compõem a primeira fase do projeto. Material escolar também será distribuído para as duas mil crianças da segunda série e 100 professores. Outras contribuições vêm de Alboan (Bilbao), Entreculturas (Madrid), a Procuradoria Missão da Áustria (Viena), Magis Itália, Missões Jesuítas (Londres) e Jesuitenmission (Nuremberg).

Fonte: Cúria Romana