Filipinas lamenta morte do padre James Reuter

Jesuíta era tido como grande comunicador no país asiático

 

foto
 
Após 70 anos de serviço nas Filipinas, o padre jesuíta americano James Reuter (foto) morreu aos 96 anos, no último dia de 2012. O Pe. Reuter era bem conhecido em todo o país por seu uso de modernos meios de comunicação (música, teatro e cinema) na pregação do Evangelho. 
 
Bispos filipinos consideram-no “um grande comunicador da Boa Nova de Jesus.” Dom Arturo Bastes, Bispo de Sorsogon, lembra-se dele como “um padre muito piedoso e exemplar”, enquanto o presidente Benigno Aquino disse sobre ele: “Ele ingressou na Companhia de Jesus, nas Filipinas, para a geração de estudantes no Ateneo de Manila University. Homens e mulheres nos meios de comunicação, artes e letras choram a perda de um homem de fé, bom humor e boa conversa”.
 
Na declaração, o Presidente continua a falar de Pe. Reuter como “amigo, mentor confessor e conselheiro para as gerações de filipinos, tanto em público como em particular”. O Pe. Reuter, diretor do Escritório Nacional da Mídia, ajudou a criar UNDA / ÁSIA e a International Association Catolic Rádio e Televisão. Foi também um dos fundadores da Federação Filipina de Transmissores de Rádio, que inclui 41 estações de rádio em todo o país.
 
Em 1981, o papa João Paulo II cumprimentou-o “para o seu grande serviço à Igreja no campo da comunicação social.” Em seguida, ele recebeu a medalha Pro Ecclesia et Pontifice, o maior prêmio papal dado a pessoas de “seu serviço exemplar para a Igreja e da Santa Sé”. Em 1989, ele foi agraciado com o Prêmio Ramon Magsaysay na área de jornalismo, literatura e criatividade na arte da comunicação, um reconhecimento de que pode ser considerado o equivalente asiática do Prêmio Nobel.