Milhares de haitianos vivem em áreas de risco

Terremoto de 2010 ainda traz consequências graves

foto

Três anos após o terremoto que atingiu o Haiti, em 12 de janeiro de 2010, cerca de 400.000 pessoas desabrigadas continuam a viver em situações vulneráveis %u200B%u200Be sem proteção em campos na capital, Port-au-Prince, e em zonas circundantes. Cerca de 20% da população deslocada enfrenta uma constante ameaça de expulsão por proprietários de terra onde foram abrigados em acampamentos após a tragédia. Além disso, muitos outros problemas afetam esta população, incluindo a cólera, a insegurança alimentar, inundações e deslizamentos de terra durante a temporada de furacões, além de condições de vida precárias.
 
O JRS (Serviço Jesuíta aos Refugiados) manifesta grande preocupação, porque os direitos e garantias adequados de proteção das pessoas deslocadas, como definidos nos Princípios Orientadores do Deslocamento Interno, continuam a ser desrespeitados. Assim, as pessoas deslocadas no Haiti estão entre os grupos mais vulneráveis %u200B%u200Be têm uma necessidade crescente de protecção.
 
No terceiro aniversário do terremoto, o JRS pede urgentemente às autoridades haitianas, países doadores e agências, organizações humanitárias e outros atores da comunidade internacional para priorizar os direitos humanos das pessoas deslocadas, principalmente, o seu direito à vida, segurança, alimentação, educação, saúde e habitação. 
 
Depois de três anos, é intolerável que muitas pessoas permanecem em tendas nos campos e em alojamento temporário. As condições de vida deploráveis %u200B%u200Bdas pessoas deslocadas em campos são incompatíveis com o respeito à sua dignidade como seres humanos. Em Automeca, um dos maiores campos da capital haitiana, onde 1.307 famílias ainda vivem “todas as tendas estão em piores condições, eles não podem suportar nada”, disse Wismith Lazard, SJ, diretor de projetos do JRS em sete campos em Porto -au-Prince.
 
“É verdade que houve várias tentativas de se mudar a população do campo,., Mas, até agora nenhuma solução definitiva para o problema do encerramento de todos os acampamentos e habitações em geral, têm sido acordada Tudo parece indicar que o fechamento de todos os campos e realocação dos deslocados à habitação permanente não virá amanhã “, disse o jesuíta haitiana.
 
Confira abaixo o vídeo realizado para ajudar as vítimas haitianas.

School educates youth, lifts community in Haiti from Jesuit Refugee Service | USA on Vimeo.