CEAS recebe Encontro de Integração entre Núcleos do MSTB

Evento apresentou estrutura organizacional e estratégias do movimento

 

foto
 
“Acho que foi um evento importante, porque eu não imaginava que o movimento fosse isso tudo. Agora me sinto parte de algo maior e vou contribuir para nossa vitória”. Foi assim que Roberval, integrante do núcleo de Mussurunga, sintetizou sua experiência no Encontro de Integração entre Núcleos do MSTB (Movimento dos Sem Teto da Bahia), realizado no mês de janeiro no CEAS (Centro de Estudos e Ação Social) da Companhia de Jesus. O evento, que contou com 79 participantes de diversos núcleos do MSTB, pretendeu integrar os núcleos do movimento entre si e construir com eles uma concepção clara das estratégias e metas do movimento, além de apresentar sua estrutura organizativa.
 
O encontro começou com a exibição do documentário “Organizar, ocupar, resistir: MSTS”, de Carlos Pronzato. O vídeo apresentou os primeiros anos da luta do MSTB, anteriores ao I Congresso (2005), quando se estadualizou. Pedro Cardoso, um dos coordenadores estaduais do movimento apresentou as inspirações, a estratégia, a história e os fatores condicionantes do surgimento e da continuidade do MSTB. A fala de Pedro foi seguida pelas intervenções de outros coordenadores que aprofundaram outros detalhes da história do movimento.
 
Os participantes receberam uma cartilha contendo uma apresentação do MSTB, um curto histórico da luta por moradia, um pouco da história do movimento, um resumo de sua estrutura interna (brigadas, coordenação local, coordenação municipal, coordenação estadual, assembleias locais, congresso), princípios norteadores da construção de parcerias e apoios, o significado da mística e da simbologia do movimento e ainda a íntegra do regimento interno do MSTB. 
 
O encontro foi encerrado com uma leitura comentada do regimento interno e com uma pequena dinâmica de grupo, e deixou os participantes cheios de expectativas. É como sintetizou Eliana, do núcleo Arraial do Retiro: “por mim, eu quero muitos e muitos outros encontros como este, porque ajuda a esclarecer pelo que estamos lutando”.