JRS completa 32 anos e fundador divulga carta

Jesuíta ressalta missões do serviço em todo o mundo

 

foto
 
Para marcar o 32º aniversário da fundação do JRS (Serviço Jesuíta aos Refugiados), o Diretor Internacional Padre Peter Balleis (foto), sj, enviou a seguinte carta para reflexão sobre os aspectos humanos, pedagógicos e espirituais da missão do JRS.
 
“O Centro de Deir Vartan em Aleppo, norte da Síria foi destruído. Era uma vez um florescente centro jesuíta de apoio aos refugiados, onde iraquianos se reuniram com os sírios para participar de atividades educativas e recreativas. Deir Vartan era um centro de esperança para muitos. A guerra na Síria destruiu a esperança e criou o desespero. Quando tudo está desmoronando, a nossa missão não é apenas a prestação de assistência material, mas também apoio espiritual.
 
O fundador do JRS e Superior Geral dos Jesuítas ex, Pedro Arrupe SJ, foi claro sobre isso. Na carta de fundação, ele escreveu em 14 de novembro de 1980, que a missão “não é só material”, mas também “humana, pedagógica e espiritual”.
 
Trinta e dois anos depois, a resposta dos jesuítas e JRS na Síria é muito destas linhas. Equipes do JRS concentraram seu trabalho para fornecer ajuda alimentar. Uma equipe de cozinheiros e ajudantes em Aleppo prepararam 10.000 refeições diariamente. Ao mesmo tempo, as crianças, afetadas e traumatizadas pela guerra, estão estudando nas escolas improvisadas em Aleppo, Homs e Damasco.
 
A aprendizagem é um meio eficaz de combater o trauma, uma espécie de apoio psicossocial, nutrindo essa centelha de esperança, sem a qual não há futuro. Serviços pedagógicos e espiritual estão combatendo o desespero e a construção de esperança.
 
Gravetos de esperança através da aprendizagem é um dos objetivos estratégicos da JRS. Nossos programas de educação formal e informal chegam a mais de 250 mil crianças, jovens e adultos. 
 
Os refugiados são completamente marginalizados a partir deste nível de ensino, menos de um por cento tem acesso ao ensino superior. Graças a uma parceria entre JRS e Commons jesuíta – Ensino Superior nas margens (JC: HEM), 225 estudantes de graduação em Malawi, Quênia e Jordânia estão fazendo cursos on-line. Até agora, 360 alunos concluíram cursos de curto prazo, chamado de Comunidade de Aprendizagem.
 
Educação é o coração da missão humana, espiritual e pedagógica do JRS, porque cria esperança duradoura para o futuro, que nenhum de nós pode viver sem.
 
Edifícios podem ser destruídos, mas não o espírito.
 
Peter Balleis S.J.
Diretor Internacional
Serviço Jesuíta aos Refugiados”