Conheça a cidade de Jesuítas, no Paraná

Município leva o nome em homenagem aos missionários que catequizaram índios na região

 

foto

Os jesuítas desempenham papel missionário em todo o mundo há mais de quatro séculos. Hoje em dia os jesuítas formam a maior ordem religiosa da Igreja Católica, a Companhia de Jesus, que conta com aproximadamente 20 mil membros espalhados por 112 países em 6 continentes. E de uma maneira muito mais modesta está um pequeno município no interior do Estado do Paraná que leva o nome dos integrantes da entidade: Jesuítas.

A cidade de Jesuítas localiza-se na região oeste do Estado do Paraná, ocupando uma área de apenas 228,5 Km2, distante 600 km da capital do Estado, Curitiba. Na última pesquisa populacional do Censo IBGE, realizada em 2010, foi apontado que Jesuítas-PR possui 9 mil habitantes. Nas últimas eleições municipais o candidato Osvaldinho, do DEM, foi eleito com 3.210 votos.

foto

E por que o nome de Jesuítas? A cidade foi batizada em 1980, e o nome derivou-se do então município de Progresso, que foi a denominação inicial de Jesuítas. A ideia de se fazer de Progresso a cidade de Jesuítas teve como razão a profunda e latente admiração e fé que possuía o colonizador da região, Senhor Enio Pepino, proprietário da Colonizadora Sinop Terras Ltda., que crente nos trabalhos desenvolvidos na catequização dos indígenas brasileiros, resolveu prestar uma homenagem aos jesuítas que indubitavelmente prestaram relevantes serviços visando a integração destes à comunidade.

A ocupação do município ocorreu por migrantes paulistas, mineiros, nordestinos e catarinenses, que chegaram em 1959 e 1960 em busca da exploração e comércio de madeiras, do comércio generalista de secos e molhados e do cultivo agrícola. Vindos de diferentes regiões do Paraná e do Brasil os colonizadores que se estabeleceram em Jesuítas possuíam etnias variadas como italianos, portugueses, espanhóis e japoneses. Com isso, o Município de Jesuítas caracteriza-se pelas diferentes predominâncias migratórias.

Os cafezais são o sustentáculo econômico do município, com mais de 10 milhões de pés plantados. Além do café as principais atividades da cidade são aves de corte, soja, milho, trigo e bovinos. A indústria dominante é a construção civil, seguida de vestuário, calçados e tecidos, produtos alimentares e mobiliário.

Na cidade as principais denominações das ruas e avenidas ostentam os memoriáveis imortais nomes dos padres José de Anchieta, Manoel da Nóbrega, Antonio Vieira e outros. E como não podia deixar de ser, o padroeiro da cidade é Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, que é lembrado em todo aniversário de Jesuítas, comemorado em 13 de maio.

foto