Evento no Rio de Janeiro reúne bispos de vários Estados

Em pauta, debate sobre estratégias para a ação pastoral nas grandes cidades

 

foto
 
O Centro de Estudos do Sumaré, no Rio de Janeiro, recebeu bispos das principais metrópoles do Brasil em um encontro voltado para a partilha e troca de experiências, em busca de estratégias comuns para a ação pastoral nas grandes cidades. O evento, realizado nesta segunda-feira, 12 de novembro, contou com a presença de bispos de cidades como São Paulo, Salvador e Florianópolis. Em pauta, questões voltadas para a nova evangelização, o código penal, a violência nos grandes centros urbanos e a Jornada Mundial da Juventude de 2013. Para o Arcebispo de Salvador, Dom Murilo Kriger (foto), o encontro foi uma oportunidade de partilhar experiências entre as dioceses, para que estejam mais preparadas diante dos desafios pastorais aos quais são chamadas:
 
“Estamos descobrindo, cada vez mais, que os nossos problemas são comuns. Problemas que eu ouço falar do Rio de Janeiro, de São Paulo, são também problemas que eu enfrento diariamente em Salvador. Então, de repente, colocarmos em comum as nossas preocupações e iniciativas que foram tomadas pode nos ajudar a caminhar rapidamente, se não em busca de uma solução completa, ao menos de pistas de solução. Então, eu penso que é importante nos aproximarmos e, juntos, enfrentarmos os desafios, que são imensos, e que nenhum de nós, sozinho, vai conseguir enfrentá-los” – disse. 
 
Dentro do que foi debatido durante a manhã, o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer ressaltou a partilha sobre questões ligadas à violência. Segundo o Cardeal, a violência desafia o trabalho da Igreja, que tem como principal diretriz a dignidade da pessoa humana. “Nos reunimos para falar de questões que afetam e desafiam a presença da Igreja nas áreas metropolitanas. Uma delas é justamente a questão da violência, que, no momento, está em evidência. A violência desafia muito fortemente o nosso trabalho, porque a Igreja precisa estar do lado dos direitos humanos, da dignidade das pessoas, ao contrário da violência. Só que, muitas vezes, não se vê claramente o problema porque ainda não se tem uma percepção muito clara de como está organizada essa questão da violência. Não podemos ficar simplesmente de braços cruzados” – opinou.
 
O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, fez um balanço do encontro: “Temos vários e grandes desafios. E, neste dia de hoje, falamos um pouquinho sobre as questões da violência nas grandes cidades um problema que acontece em todas as cidades, hoje, principalmente nas áreas metropolitanas. Falamos também da questão do arcabouço político do país, que está mudando; então, refletimos sobre o Código Penal e todas as nossas preocupações com a maneira de pensar e fazer a nossa sociedade. Também falamos sobre o Sínodo dos Bispos, que trata da grande evangelização. E, por fim, como estamos no Rio de Janeiro, abordamos também os preparativos para a Jornada Mundial da Juventude” – contou.