Fé e Alegria participa de Seminário de Comunicação Comunitária

O evento foi uma iniciativa da PUC-Rio e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

As ações de comunicação comunitária desenvolvidas por Fé e Alegria no Espírito Santo foram apresentadas no I Seminário Regional de Comunicação Comunitária, realizado em conjunto pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). O evento, que aconteceu no Centro Loyola de Fé e Cultura, no bairro da Gávea, foi realizado entre os dias 16 e 19 de outubro.

Durante a mesa que debatia os temas de formação, participação e cidadania, os participantes do Seminário conheceram as atividades de comunicação comunitária desenvolvidas no Espírito Santo. Um dos destaques foi a exibição do vídeo educativo “As Árvores e a Água, produzido pelo Núcleo de Comunicação do bairro Nova Esperança, município de Cariacica. A produção teve como foco a educação ambiental e contou com a participação especial dos educandos do Projovem do município. 

Para Lívia Abdala, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e uma das organizadoras do evento, a participação de Fé e Alegria (ES) foi fundamental para conhecer as experiências praticadas em outros Estados. “A Fundação Fé e Alegria mostrou de forma muito rica um trabalho diferenciado, que envolve as comunidades urbanas e rurais. Ao mesmo tempo em que incentiva a formação, há uma contribuição para o desenvolvimento das comunidades, se tornando um trabalho social completo, onde se cria valores e princípios por meio dos ideais da comunicação comunitária”, afirmou.   

Rede de Comunicadores

Jornalistas, professores, alunos de comunicação e comunicadores comunitários de toda a Região Sudeste, também participaram do encontro e discutiram a realidade dos meios de comunicação comunitária. 

Alguns temas como o direito à comunicação; a parcialidade dos meios da chamada grande imprensa; a comunicação como um direito humano; o voluntariado; a sustentabilidade; a publicidade; cidadania e cultura alternativa; dentre diversos outros assuntos foram debatidos durante os quatro dias.

O diferencial é que não apenas os grandes pensadores da comunicação comunitária estiveram nas mesas contando as suas experiências, mas também comunicadores que fazem este movimento acontecer. Além dos painéis e das oficinas, no último dia do seminário os participantes criaram uma rede de comunicadores comunitários da região sudeste, com a proposta de colocar em prática tudo o que foi discutido, e continuar desenvolvendo a comunicação comunitária como forma de exercício da cidadania.