Pastoral juvenil da América Latina ganha documento orientador

Lançamento foi durante o XVII Encontro Latino-americano de Responsáveis Nacionais de Pastoral Juvenil em Ypacarai, Paraguai

 

foto
 
Um marco para orientar toda a ação pastoral juvenil da América Latina foi lançado no dia 25 de outubro, quinta-feira, durante o XVII Encontro Latino-americano de Responsáveis Nacionais de Pastoral Juvenil em Ypacarai, Paraguai. O documento “Civilização do Amor – Projeto e Missão” é fruto de um trabalho de quatro anos de jovens, assessores, bispos e estudiosos para revitalizar a atuação pastoral tendo como centro a vida da juventude.
 
A proposta inicial da Seção de Juventude do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), em 2008, foi atualizar o documento “Civilização do Amor. Tarefa e Esperança”, de 1995. O processo de revitalização da Pastoral Juvenil Latino-Americana, iniciado em 2009, e o chamado da Conferência de Aparecida aos jovens para serem discípulos missionários deram novas indicações para atualizar as orientações pastorais.
 
O livro, produzido por várias mãos, foi inicialmente escrito por uma equipe de assessores, revisado por jovens delegados, relido por jovens para avaliar a linguagem, depois por representantes dos institutos que trabalham com juventude da América Latina, pelo departamento de juventude das conferências episcopais e, finalmente, pelos bispos do departamento Família, Vida e Juventude do CELAM.
 
A base do documento é formada por cinco marcos (da realidade juvenil, histórico, doutrinal, operacional e celebrativo) sempre com a vida de cada jovem como centro das reflexões e dos textos.
 
O presidente do Departamento Família, Vida e Juventude do CELAM, Dom Raúl Martín, afirmou que as orientações pastorais são uma continuidade do caminhar da pastoral juvenil em todo o subcontinente latino-americano para impulsionar as realidades juvenis. “Os jovens são chamados a dinamizar o corpo social da Igreja. Hoje, essa Civilização do Amor se traduz em uma vivência radical do discipulado missionário de Jesus Cristo.”