Jornada Mundial da Juventude Rio 2013 é tema de debate na Sala do Sínodo

Padres sinodais discutiram a JMJ no Vaticano

 

foto
 
Os jovens estiveram no centro do pronunciamento do Secretário da Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL), Prof. Guzmán Carriquiry (foto), aos padres sinodais reunidos no Vaticano sobre a Nova Evangelização e a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.
 
fotoDentro do Ano da Fé, o Secretário da CAL definiu a JMJ como um evento de nova evangelização para a transmissão da fé às novas gerações. “Todos sabemos bem a importância que as Jornadas mundiais tiveram para a traditio da fé em setores significativos da juventude contemporânea”.
 
De acordo com o Professor, o encontro no Rio evoca uma grande mobilização educativa e evangelizadora especialmente das juventudes latino-americanas. “Esgotada a força propulsora de ideologias e utopias, quem senão a Igreja pode dar a nossos jovens razões de vida e de esperança?”, questiona Carriquiry.
 
Para o Secretário da CAL, haverá uma multidão de jovens que peregrinará ao Rio com o pressentimento curioso, inquieto, de que este evento eclesial será importante, determinante, para a própria vida. “É necessário assumir desde já o desafio de ir educando todos os jovens peregrinos para que seu entusiasmo se conjugue com um redescobrimento e uma adesão mais firme aos conteúdos fundamentais da fé cristã”.
 
O Professor Carriquiry então concluiu: “Rezemos desde já por este acontecimento católico, confiando-o à maternidade de Maria Santíssima, para que milhões de jovens saibam mostrar o silêncio adorante diante do Corpo Eucarístico do Senhor e o silêncio meditativo diante da extraordinária pedagogia cristã do Sucessor de Pedro”.