Ao mestre com carinho

Escolas da Rede Jesuíta de Educação se destacam pela competência de seus profissionais

O Colégio São Luís possui mais de 145 anos de tradição e se destaca por possui um corpo docente altamente qualificado, embasado em uma proposta pedagógica sólida e humanista. A instituição que faz parte da história da cidade de São Paulo possui um quadro de educadores estável e em permanente atualização. Alguns desses professores está há quase 30 anos no Colégio e hoje contribuem com a formação dos filhos de seus alunos no passado.

No Colégio São Luís há 27 anos, Luciane Isabel de Freitas, 45 anos, entrou na instituição como auxiliar de professor, seu primeiro emprego. Por gostar muito de criança desde a adolescência, decidiu cursar pedagogia, e não se arrepende.  “Foi a melhor escolha que já fiz na minha vida”, diz convicta. “Ser educadora vai muito além de ensinar só conteúdos. É ensinar essas crianças a serem felizes, criativas, saber partilhar, dialogar, lutar pelos seus direitos.”

Professora do 1º ano do Ensino Fundamental, Luciane dá aulas de linguagem, matemática, natureza e sociedade e trabalha diretamente com a alfabetização de alunos de seis a sete anos. Segundo ela, é gratificante ver filhos e amigos de antigos alunos estudando no São Luís. “Acho fantástico que ex-alunos procurem para os filhos a mesma formação que receberam, prova de que confiam no nosso trabalho”, afirma.

No Colégio São Luís há 147 professores e a proposta pedagógica é inspirada na Pedagogia Inaciana, desenvolvida e praticada por educadores jesuítas e leigos ao longo de quase cinco séculos.

“Oferecemos um ensino forte com currículo humanista, que inclui aulas de ensino religioso, filosofia, sociologia, teatro e música; mas também proporcionamos experiências em realidades sociais desafiadoras, que levam os alunos a conviverem com idosos e crianças em creches, asilos e hospitais; como também projetos de formação de lideranças, além de promover campeonatos esportivos”, ressalta Laez Barbosa Fonseca, Assessor Técnico-Pedagógico do colégio.

 

O aluno é o professor

“Como é difícil o trabalho de um professor”. Foi esse o desabafo da aluna Anna Luiza Barroso, da 2ª série do Ensino Médio, após a experiência de ter sido professora por um dia. Por meio do projeto O professor é você, desenvolvido pela educadora Isabel Martins, da disciplina de Português. Além da estudante, cerca de 40 alunos do Colégio Loyola, localizado em Belo Horizonte (MG), tiveram a oportunidade de participar do projeto.

A iniciativa da professora Isabel foi justamente para quebrar a rotina de passar a matéria no quadro e fazer correções. “Percebi que muitos alunos não estavam sabendo como estudar a língua portuguesa. Fui pesquisando novas técnicas e veio a ideia de dar temas para estudarem e mostrarem o que aprenderam, no papel de um professor. Assim, estão aprendendo muito mais do que no método convencional”, afirma.

O trabalho foi levado a sério pelos alunos, que absorveram a postura de um professor, chamando a atenção dos colegas, explicando os temas e tirando dúvidas. Além de aprenderem melhor o conteúdo, Isabel também percebeu que seus alunos começaram a desenvolver outras habilidades. “Melhoraram a linguagem, alguns perderam a timidez, outros passaram a desenvolver mais a oratória e também perceberam que conseguem, agora, explicar melhor seus exercícios. Além disso, começaram a ter um olhar mais crítico e a corrigir os colegas”.

Atualmente no Loyola há cerca de dez projetos de aulas com métodos pedagógicos diferenciados, nos ensinos Fundamental e Médio, como aulas de Geografia na piscina, show de talentos em aulas de Inglês e produção de livros, entre outros.

Tendo como princípio a pedagogia inaciana, os Colégios da Rede Jesuíta de Educação se destacam por valorizar os professores e por preparar seus alunos para serem cidadãos do mundo.