PUC vai exibir 12 filmes produzidos por alunos no Festival do Rio

Festival terá 20 mostras de arte e mais de 400 filmes, entre eles "A Busca", de Luciano Moura e Wagner Moura

 

Nos dias 3, 4, 8, 9,10 e 11 de outubro, das 10 às 13 horas, a PUC Rio vai exibir 12 filmes selecionados para o Festival do Rio, na Sala 102-K. A iniciativa é resultado de uma parceria entre o Departamento de Comunicação Social da universidade e a organização do Festival. Cada sessão trará um curta produzido por alunos da PUC e um longa-metragem.

O Festival do Rio está na 14ª edição e neste ano vai exibir mais de 400 filmes de 60 países diferentes, além de 21 mostras sobre cinema e arte. Entre os destaques nacionais estão filmes como “A Busca”, do diretor Luciano Moura e estrelado por Wagner Moura, “Coração do Brasil”, de Daniel Solá Santiago, “Meu amigo, meu avô”, de Renan Montenegro, entre outros.

fotoO professor Arturo Piscotti (foto), responsável pela supervisão e aproximação entre a universidade e o festival, conversou com o PUC-URGENTE sobre o projeto.

PUC: Como surgiu essa parceria?

Arturo Piscotti: Nós já temos, há alguns anos, uma parceria para a cobertura do Cine Encontro, que é justamente dentro do Armazém da Utopia, onde será realizado o Festival do Rio. E nós pensávamos, por uma razão óbvia, em aproximar o curso de Cinema do Festival, levando em consideração a perspectiva que oferece, como visibilidade, possibilidade de produto e de qualificação. Em abril, na homenagem aos cem anos de nascimento de Ribeiro Júnior, aqui na Universidade, Ilda Santiago, sócia do Grupo Estação e uma das organizadoras do Festival, esteve presente e conversou com a direção do departamento e os professores sobre essa possibilidade de aproximação. A PUC pensou que seria muito interessante se tivéssemos, internamente, uma mostra de alguns longas-metragens na PUC. No primeiro semestre, essa conversa aconteceu mais uma vez e a parceria foi criada.

 

Por que a PUC foi escolhida?

Arturo: O Festival do Rio percebeu a pertinência da aproximação com a PUC, assim como a PUC reconhece a importância do festival. O número de curtas de alunos selecionados para o Festival mostra a dimensão, a qualidade desse trabalho feito pelos alunos, que é fruto de uma política de investimento do departamento. Nada mais natural que esse seja um caminho de mão dupla. É interessante o maior festival estar próximo a uma instituição de excelência na área do ensino ligada a comunicação e ao cinema. Depois de sete anos, o curso começa a se encaminhar para fora dos muros da Universidade. Essa proximidade entre a PUC e o festival acaba sendo natural, é uma consequência do crescimento e fortalecimento do curso.

 

Além das exibições, haverá outras atividades ligadas ao festival?

Arturo: Os filmes serão exibidos e representantes dos filmes estarão presentes para fazer o debate. Essa é uma maneira de a Universidade valorizar a produção interna e mostrar aos alunos que a gente valoriza isso. Nada mais pertinente que, nessa amostra de seis dias, apresentar os seis curtas-metragens que foram produzidos aqui na PUC. Além disso, a PUC oferece uma mão de obra qualificada para o festival, que é uma possibilidade de estágio para o aluno.

 

Essa parceria vai continuar nos próximos anos?

Arturo: Essa é a ideia. Proporcionar aos alunos da PUC o que há de melhor no universo da relação de festivais é do nosso interesse. Podemos afirmar que esse também é o interesse do festival. Não fomos selecionados à toa, na dimensão que foi. Tem uma razão de ser. Significa qualidade, seriedade de trabalho. Significa que a gente está no caminho certo.

Fonte: PUC Urgente