Réplica do Cristo Redentor será exibida na capital francesa

Ação faz parte da preparação para a Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no Rio de Janeiro em 2013

 

foto

Uma réplica da estátua do Cristo Redentor, do Rio de Janeiro, será exibida na quarta-feira, dia 29 de agosto, diante da Catedral de Notre Dame de Paris, no âmbito da preparação para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, em julho de 2013. Milhões de jovens estão sendo esperados para essa Jornada que se realizará entre os dias 23 e 28 julho, na presença do Papa Bento XVI.

A réplica da estátua do Cristo Redentor terá 3,8 metros de altura e 3 metros de largura, esculpida pelo artista plástico Odilon Lima e artesãos das escolas de samba do Rio de Janeiro. A estátua será apresentada no final da tarde, ao fim de uma missa na Catedral de Notre Dame, segundo comunicado divulgado pelo Consulado da França no Rio de Janeiro que apoia o evento organizado pela Arquidiocese.

“Cristo de braços abertos é o maior símbolo do Rio de Janeiro e vai ao encontro de turistas, peregrinos de todas as culturas e de todos os países. Isso mostra que o Rio é uma cidade aberta e acolhedora”, disse o Reitor Santuário “Cristo Redentor”, Padre Omar Raposo, em um comunicado.

A estátua do “Cristo Redentor”, que comemorou seus 80 anos em 12 de outubro de 2011, foi nomeada “Embaixadora da JMJ”. Além da apresentação da réplica, uma exposição conta a história do monumento símbolo mais visitado do Rio e do Brasil. Folhetos em várias línguas serão distribuídos ao público na capital francesa.

A réplica da estátua, eleita sétima maravilha do mundo moderno, então será doada para a cidade de Paris como “um símbolo da paz”. Várias réplicas da Estátua e exposições deverão percorrer os quatro cantos do mundo. A Cidade do Vaticano foi a primeira a receber a réplica no mês de abril deste ano. Depois de Paris, será Toronto (Canadá), no dia 16 de setembro; Tóquio (Japão) em 28 de setembro e Maputo (Moçambique), em 10 de outubro.

A Jornada Mundial da Juventude do Rio será a segunda Jornada a ser realizada na América Latina, 26 anos após a de Buenos Aires, que teve a presença de João Paulo II.