Morre o jesuíta mais velho do Brasil

Padre Carlos Bresciani faleceu, aos 100 anos. E dedicou 83 deles à Companhia de Jesus

O padre jesuíta era membro da residência Padre Antônio Vieira, em Salvador. Apesar da idade avançada, estava lúcido. Tinha apenas problemas de audição e visão.

Ele entrou para a Companhia de Jesus em 1929. Sua ordenação foi em 1943 e a incorporação definitiva, pela profissão solene, em 1964.

Nesses 69 anos de missão, o jesuíta exerceu muitos cargos na Companhia. Foi reitor do Colégio Leone XIII, em Milão (Itália), e também no São Francisco de Sales, em Teresina (PI). Foi Superior em várias comunidades e professor na Universidade Federal do Piauí. Em 1956, assim que chegou ao Brasil, assumiu a função de Sócio (secretário e assistente) do Provincial. Depois, foi Provincial da Vice-Província da Bahia, ensinou latim no Seminário Propedêutico, foi confessor das Sacramentinas e de outras ordens religiosas, além de escrever vários opúsculos sobre aspectos da história dos jesuítas na Bahia.

Exerceu ainda muitas outras funções, mas, sobretudo, se distinguia pelo espírito de cordialidade, solidariedade, sobriedade e jovialidade, além de grande fidelidade e firmeza em tudo o que dizia respeito à fé e a Deus.